Muitos estados e cidades estão começando a flexibilizar as medidas restritivas, porém é importante pensar na segurança da sua equipe e clientes!

Por isso nós reunimos algumas dicas e ferramentas importantes, além de dúvidas comuns em empresários e empreendedores sobre a COVID e a reabertura!

Confira abaixo as principais dúvidas que levantamos e os materiais e respostas que reunimos com especialistas e materiais científicos.

Qual termômetro comprar?

Com a reabertura uma exigência muito comum é a necessidade de termômetros digitais por infravermelho (mede a distância), e com isto muitas dúvidas surgem.

O mais importante é entender a necessidade, a medição realizada na porta das lojas depende muito mais da forma do que do equipamento, então compre em lojas conhecidas de preferência que ofereçam garantia.

Confira algumas sugestões de termômetros de lojas grandes com uma garantia mínima de qualidade.

01 Termomêtro Digital Corporal Infra
02 Termômetro Digital Medidor De Temperatura Corporal
03 Termômetro Infravermelho Digital Sem Contato Testa Orelha Corporal
04 Termômetro digital da testa Termômetro infravermelho do bebê

Tenha em mente que os preços subiram com a demanda, então os valores que giravam em torno de R$60 passaram a R$200, então se sua cidade não for reabrir agora, talvez seja melhor esperar um pouco para comprar.

Luz ultravioleta para COVID?

A disseminação do novo coronavírus colocou a luz ultravioleta em destaque como um alternativa para esterilização de ambientes e superfícies.

A técnica é usada há pelo menos um século, mas seu alcance é limitado e o contato direto com pessoas, animais e plantas é prejudicial.

Existem diferentes tipos de radiação ultravioleta, divididos de acordo com o comprimento de onda com o qual viajam pelo ambiente, que está na ordem de nanômetros. Alguns desses raios são mais eficientes na eliminação de germes.

Ao interagir com o material genético de um vírus ou uma bactéria, a radiação causa um dano que impede o microrganismo de se reproduzir –ou se multiplicar, no caso dos vírus, que dependem das células de um hospedeiro para fazer a replicação de seu material genético (RNA ou DNA), explica Mario Bernal, professor no Instituto de Física da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Assim, o microrganismo fica inativo e não consegue dar início à infecção. “O nível de inativação depende da dose de radiação. Quanto maior for a dose, maior é a probabilidade de inativar mais microrganismos. Mas não é possível uma inativação total”, afirma Bernal. A radiação mais eficiente nesses casos é a ultravioleta do tipo C. ou UV-C.

Confira alguns exemplos de lâmpadas que podem ser adquiridas para limpeza e higienização.

Honeytecs Luz UV Luz ultravioleta portátil com obturador móvel
Sanitizador UVC UVC UVC de luz ultravioleta
Lâmpada Germicida UV 100W com controle
Lâmpada Germicida UV 100W simples

Quanto tempo o COVID dura?

Estudo publicado pela New England Journal of Medicine em março de 2020 avaliou a estabilidade do COVID-19 em diversas superfícies e estimou suas taxas de decaimento.

De acordo com o estudo, o novo vírus permaneceu viável em aerossóis durante 3 horas com uma redução no título infeccioso de 103,5 para 102,7 por litro de ar. A meia-vida do COVID-19 em aerossóis teve com estimativas mediana de aproximadamente 1,1 horas e intervalos de confiança de 95% de 0,64 a 2,64.

O COVID-19 foi mais estável em plástico e aço inoxidável do que em cobre e papelão. Em superfícies de cobre, nenhum vírus viável foi medido após 4 horas, e no papelão, nenhum viável foi medido após 24 horas.

A viabilidade mais longa do vírus foi em aço inoxidável e plástico: a meia-vida média estimada foi de aproximadamente 5,6 horas em aço inoxidável e 6,8 horas em plástico, tendo como tempo máximo de 72 horas após a aplicação nessas superfícies. A capacidade do vírus de sobreviver por tanto tempo apenas ressalta a importância da limpeza de superfícies.

Ainda não há estudos sobre a viabilidade deste novo vírus em tecidos. No entanto, sabe-se por estudos realizados com outros patógenos que, de forma geral, os vírus podem ter sobrevida de 72 a 96 horas nos panos.

Pelo tecido ser poroso, pode ocorrer o acúmulo de secreções respiratórias e muitas vezes o acesso da água é limitado. Assim, a lavagem de tecidos deve ser feita com água e sabão.

Tocar uma superfície ou objeto que contenha o vírus e depois tocar o próprio rosto não é considerado o principal meio de propagação do vírus, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

Mesmo assim, a Organização Mundial de Saúde enfatiza que lavar as mãos com água e sabão, usar álcool 70% e limpar e desinfetar superfícies frequentemente são medidas essenciais para impedir a propagação do COVID-19.

Somente o álcool 70% pode ser usado?

SIM, não adianta tentar utilizar álcool com menor teor ou maior, os de menor teor não tem força o suficiente para quebrar a capa de gordura que envolve o vírus da COVID, já os mais fortes tem uma reação com o ar e evaporam antes de cumprir o objetivo.

Pesquisas com outros tipos de coronavírus mostraram que a limpeza de superfícies com desinfetantes domésticos é capaz de eliminar o vírus em cerca de um minuto. A composição do produto deve ter entre 62% e 71% de etanol, 0,5% de peróxido de hidrogênio ou 0,1% de hipoclorito de sódio (água sanitária).

Lembre-se, é importante seguir as orientações da secretária de saúde da sua cidade e estado, todos oferecem orientações para a reabertura. Caso sinta necessário busque especialistas para avaliar as medidas tomadas.

                               
                                   Ver comentários